Tuesday, July 15, 2008

Boa música

Recursos web facilitam nossa conversa sobre música. Desde ontem estou encantado com um desses recursos, o Goear. Ele reúne um acervo de obras que as pessoas colocam no ar. Tal acervo é uma peneira. De modo espontâneo, as pessoas selecionam coisas que acham que devem ser ouvidas. A peneira nem sempre é rigorosa. Mas o conjunto do material trazido para a rede permite que a gente tenha acesso a novidades ou a obras clássicas. Muita coisa pode ser feita com tal recurso.Fico imaginando uma tarefa como a de selecionar material para um show temático.

Vou apresentar aqui um roteiro que pode servir de exemplo para uma tarefa como a que estou propondo. Não serei muito criterioso no roteiro. Quero apenas mostrar um possível caminho.

Uma música social e crítica pode dar uma boa idéia sobre problemas enfrentados por nós nos últimos anos. Este show é uma pequena mostra disso. Vamos viajar pelo mundo de fala espanhola e ouvir algumas canções que, além de engajadas, são de grande beleza.

Comecemos com Cambalache, na voz de Joan Manuel Serrat:



A introdução de Serrat e a letra dispensam comentário. Seguimos com o show. Canta agora Soledad Bravo, intérprete de origem espanhola que se tornou a mais importante cantora de Venezuela. A música, Comandante Che Guevara lembra a luta de guerrilha que se instalou em algumas partes da América do Sul:



Nos anos setenta e seguintes, a ditadura chilena foi um movimento de grande crueldade. O grande representante da nova canção cubana, Pablo Milanes, canta aqui uma canção da volta a uma Santiago liberada:



Deixemos o clima de terror das ditaduras sul-americanas do século XX. Ouçamos um pouco de música que valoriza a cultura local. Uma das mais lindas obras nessa direção é José Antonio, de Chabuca Granda, a fantástica cantora e compositora peruana:



Que tal mais uma música que fala de gente do povo desta nossa América. Ouçam a lindíssima Carito, dos argentinos Leon Gieco e Antonio Tarrago Ros:



É de Antonio Tarrago Ros uma canção sobre um escravo brasileiro que luta na Guerra do Paraguai. A epópéia desse negro ilustra as contradições de nossa América do Sul. Apresentamos aqui versão cantada pelo autor com Pablo Milanes num encontro em Buenos Aires:



Tem muito mais, mas vamos terminando por aqui. Dois artistas que sempre promoveram a grande música popular da América abaixo do equador: Horacio Guarany e Mercedes Sosa em Se se Calla el Cantor:

6 Comments:

Blogger Marli said...

Professor Jarbas!

Achei sensacional a sua idéia e a dica do site! Está guardada! Abraço!

4:46 AM  
Blogger Jarbas said...

Oi Marli,
Faço apenas uma sugestão muito inicial. Seria muito legal que alguém desenvolvesse a idéia e a aplicasse. Se você ou algum de seus contatos aventurar-se em tal direção, me manda notícia. Se pintar oportunidade, vou sugerir a alguns de meus alunos que produzam uma WebQuest aproveitando o acervo do Goear e criando uma tarefa do tipo show musical temático. Abraço, Jarbas.

7:24 AM  
Anonymous Miriam Salles said...

Oi Jarbas!
Fiquei imaginando que beleza seria um show temático sobre a ditadura... Só as músicas do Chico Buarque dariam uma super atividade!! :-)

Abço

8:36 PM  
Anonymous Carlos Seabra said...

Jarbas, muito bom este teu post sobre música e a história recente de nosso sul-americano continente, cantada por diversos menestréis.

Você tem um jeito de escrever e comunicar de um lúdico e elegante cognitivismo!

Aproveito para deixar a dica de uma importante música da história do Chile, a Cantata Santa Maria de Iquique, do conjunto Quilapayun (relativa a fatos bem anteriores ao 11 de setembro que assassinou Allende e tantos outros, arrepiantemente profético):

http://cseabra.utopia.com.br/musicas/Quilapayun%20-%20Santa%20Maria%20de%20Iquique.mp3

Abração,
Carlos

11:12 AM  
Blogger Jarbas said...

Alô, Miriam,

A música pode nos ajudar a entender muita coisa.A música nos tempos da ditadura seria um bom mote para que a história de muitas lutas não fique esquecida.

Alô, Carlos,

Obrigado pelos comentários e apoio.Obrigado tb pela remessa da Cantata de Santa Maria de Iquique. Por falar em ditadura,as músicas chilenas dos anos de terror no Chile podem ilustrar o estudo de uma fase histórica que jamais deve ser esquecida.

Abraço grande pros dois,

Jarbas

1:40 PM  
Anonymous Anonymous said...

parabens pelo blog...
Na musica country VIRGINIA DE MAURO a LULLY de BETO CARRERO vem fazendo o maior sucesso com seu CD MUNDO ENCANTADO em homenagem ao Parque Temático em PENHA/SC. Asssistam no YOUTUBE sessão TRAPINHASTUBE, musicas como: CAVALEIRO DA VITÓRIA, MEU PADRINHO BETO CARRERO, ENTRE OUTRAS...
é o sonho eterno de BETO CARRERO e a mão de DEUS.

6:04 AM  

Post a Comment

<< Home